Search

Set up your subscription box and get your Green Tailors eco-friendly products conveniently delivered according to your needs

Green Tailors was launched in 2019 by three friends - Fernando, Francisco and Nuno - with a common goal. From our headquarters in Portugal, we started slowly but stubbornly committed to having an active voice in raising awareness and shaping the discussion around the negative impacts of climate change. We were appalled by what was going on in the world. How this affected the environment and resources, and the negative impact that It had on our people, on our communities. More than talking about the issue, we had the urge to have a direct contribution in shaping a more conscious, aware, healthy and empathic world. A place where humans and nature can coexist in a balanced way. Where people can have a more grounded and healthy lifestyle. We had a strong call to act. And Green Tailors came to life.

Green Tailors is more than a sustainable personal products brand. It is a movement of mindful human beings that aim to empower people to save our planet by introducing simple minor changes to everyday habits. We aim to be part of the solution to the challenges our planet currently faces. How? By raising awareness and by offering sustainable, high quality, affordable, everyday alternatives to "mainstream" personal care products. We offer true, honest and green alternatives that are accessible to everyone. Solutions that are available anytime and anywhere. Delivered to your doorstep. We are the "go-to" brand where people and businesses can find every day sustainable essentials without effort. We are part of a growing collective of people that know that we don’t need a handful of people doing zero waste perfectly. We need millions doing it imperfectly.

Atualmente, esta seção não inclui nenhum conteúdo. Adicione conteúdo nesta seção usando a barra lateral.

Image caption appears here

Add your deal, information or promotional text

Pine woodland restoration creates haven for birds

Milhões de hectares de florestas de pinheiros outrora cobriram uma grande porção da Terra.

Mas à medida que os humanos extraíam essas árvores e suprimiam os incêndios naturais, os bosques deram lugar a florestas densas com densas folhagens e espécies arbóreas menos resistentes ao fogo, levando a incêndios mais intensos e imprevisíveis, bem como à perda de habitats de aves nativas.

Agora, pesquisadores da Universidade do Missouri demonstraram num novo estudo que a restauração de florestas de pinheiros, através do uso combinado de fogos intencionais, manejados e desbastes estratégicos de densidade de árvores, tem um efeito marcadamente benéfico sobre uma variedade de aves, algumas das quais estão enfrentando acentuados declínios de impactos causados pelo homem, como as mudanças climáticas e a perda de habitat.

"Algumas pessoas podem ouvir as palavras 'fogo' e 'desbaste' e imediatamente imaginar terras devolutas carbonizadas e achatadas, mas essa não é a realidade", disse Melissa Roach, agora pesquisadora do Laboratório de Bandagem de Aves do U.S. Geological Survey, que realizou o estudo enquanto terminava seu mestrado na MU. "Os pesquisadores estão usando essas técnicas de manejo para restaurar belas matas abertas. Neste estudo, descobrimos que as aves que têm lutado em outros lugares estão prosperando positivamente nestas áreas restauradas"

Frank Thompson, biólogo de vida selvagem do Serviço Florestal do USDA e professor cooperativo do Colégio de Agricultura, Alimentação e Recursos Naturais da MU, com mais de duas décadas de experiência no estudo de populações de aves do Meio-Oeste, trabalhou com Roach para pesquisar 16 espécies de aves em diferentes graus de densidade de pinhal. Estes bosques estavam localizados em partes do Missouri, Arkansas e Oklahoma no complexo montanhoso de Ozark-Ouachita. Ao contrário da maioria dos estudos, Roach retornou aos mesmos locais três anos seguidos para monitorar as populações de pássaros ao longo do tempo.

Os pesquisadores descobriram que o pinhal restaurado criou um dossel aberto e uma camada de solo exuberante, e foi ideal para permitir um equilíbrio entre as espécies que preferem menos densidade de árvores e cobertura do dossel com as que preferem mais. Várias das aves que foram observadas a prosperar neste habitat estão em declínio noutros locais, incluindo o Pica-pau de Cabeça Vermelha e a Toutinegra. Apenas cinco espécies foram afetadas negativamente pela restauração, mas estas permanecem abundantes nas florestas não tratadas que ainda dominam o Meio-Oeste.

Os pesquisadores também isolaram duas práticas de manejo - incêndios controlados e desbaste de árvores - para determinar seus efeitos individuais na abundância de pássaros. Oito das 16 espécies de aves, incluindo o Pica-pau-de-cabeça-vermelha, eram mais numerosas em áreas com um histórico de incêndios, enquanto quatro espécies se beneficiaram do desbaste. Em conjunto, Thompson disse que os resultados sugerem que a restauração de florestas de pinheiros em conjunto com incêndios prescritos e desbastes de árvores pode criar habitats adequados para uma grande variedade de aves.

"Nosso estudo mostra que a restauração usando fogo e folhas de árvores de árvores grandes e largamente espaçadas para espécies de dossel, enquanto permite o desenvolvimento de gramíneas e arbustos para espécies terrestres ou arbustivas", disse Thompson. "Dado que tivemos o cuidado de observar aves com diversas necessidades de reprodução, podemos ver que os pinhais restaurados podem suportar muitas aves diferentes com necessidades diferentes, quer nidifiquem no solo, em arbustos ou no alto das copas das árvores maduras". Este é um poderoso testemunho da necessidade de continuar a restaurar estes bosques, que também são ricos em diversidade de plantas e provavelmente mais sustentáveis em muitos casos do que as florestas fechadas sob as mudanças climáticas"

Fonte: Universidade do Missouri - Columbia.